quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

A Importancia dos Cabelos



Eu sempre gostei de cuidar dos meus cabelos, quando pequena eles eram dourados com grandes cachos, fui crescendo e adorava passar cremes e meu pai dizia que eu passava tantas coisas que um dia ainda ficaria sem os cabelos, ele não imaginava o que viria pela frente. Então a situação de quando eu fiquei doente, o cabelo foi uma coisa que pegou muito, e o médico logo que me disse que os meus cabelos iriam cair. Olha confesso que de tudo foi a pior parte, na primeira quimio nada aconteceu, fiquei feliz, mais quando fiz a segunda que neste mês completa sete anos, passei as ultimas semanas de dezembro daquele ano sem poder passar as mãos no cabelo e eu que tenho uma mania de o tempo todo ficar com as mãos no cabelo, mas os meus fios caiam mechas muito grandes e foi assustador na epoca, pela casa ficava muito cabelo, eu que encaro tudo muito bem na minha vida comecei a sentir que os cabelos iriam me atrapalhar a passar por essa etapa, e que era preciso enfrentar aquila situação. Primeiro dia util de janeiro daquele ano, fui para o Rio trabalhar, no ônibus que eu viajava, o pessoal sempre acaba dormindo, mas antes de chegar ao centro do Rio eu acordei, e o encosto da poltrona tinha muitos fios, juntei tudo ninguém percebeu e coloquei na minha bolsa. Quando cheguei ao trabalho logo encontrei a Marina, colega de trabalho da LG na epoca, uma pessoa inesquecivel na minha vida que me acompanhou durante o periodo da doença, mostrei a ela quanto cabelo tinha perdido na viagem e comecei a trabalhar e logo chegou o meu supervisor Luiz Fernando uma pessoa tambem com um grande coração e muito "familia" que apesar do jeitão sério é um ser humano especial, naquela manhã resolvi que iria solucionar o problema dos meus cabelos, fui para Juiz de Fora onde os pais do Dionisio moram, lá tem um salão que a dona faz perucas de cabelos humanos e o preço era bem mais barato do que no Rio. E foi isso que foi feito, dificil, muito dificil isso, fui chorando ate lá, em silêncio sentia as lágrimas escorrerem pelo o meu rosto, mais era preciso. Cheguei lá e os pais do Dionisio resolveram nos acompanhar, e logo de cara ela tinha um cabelo que estava muito parecido com o meu da epoca, com luzes e tudo e resolvi que seria aquele mesmo. E fui passar a maquina zero, a cena igual a da novela que a Carolina Dickeman fez, a unica diferença que o meu fundo musical era minha sogra chorando disfarçado mais eu percebi. Quando terminou a dona do salão enrolou uma toalha, pois precisava passar pelo salão todo cheio de espelhos para ir ao lavatório, mais eu tirei a toalha, claro que eu queria ver como tinha ficado, elas achavam que eu iria me desesperar, mais fazer o que não tinha outro jeito, eu pensei estou viva preciso fazer um tratamento que é muito pesado, não será o cabelo que irá me atrapalhar, pois uma coisa que eu rejeito da minha vida é a depressão, então quando sinto que algo pode me atrapalhar elimino da minha vida. Quando eu cheguei em casa, foi um problema, eu não conseguia pegar no cabelo, mais como eu trabalhei o durante o tratamento todo precisava deste cabelo, lenço não era legal, eu a chamava de amiga, pois foi aquela peruca que me ajudou. O cabelo foi crescendo mais quando entrei no processo de radioterapia, caiu um pedaço de traz do meu cabelo, então adiei a retirada da peruca e fui de férias para Porto Seguro com a peruca, ai foi engraçado, quem já foi para lá sabe que o tal do terêrê é o que mais fazem por lá e quando cheguei não é que queriam fazer terêrê em mim, eu e o Dionisio diziamos que era peruca mais elas não acreditavam e eu simplesmente levantava a peruca e coitado do pessoal, ficavam espantados e tem outra coisa lá que eles tentam vender muito è um acessório que faz massagem na cabeça, mais lá o cara enfia na sua cabeça quando você esta caminhando e então é aquele susto e eu falava para eles que se colocasse eu iria ficar sem cabelo, passou um tempo e no mês do meu aniversário lá estava eu com os cabelos bem curtinhos mais eram meus, uma coisa eu aprendi, não reclamar do cabelo, quando acordo e ele não está bom, jamais reclamo. Então vocês devem estar se perguntando por que contei isso agora, essa semana a revista veja de São Paulo tem na capa uma foto da Hebe careca, confesso que não tenho nenhuma foto assim, não tive coragem na epoca, mais quando vi esta foto da Hebe pensei que poderia ter tirado uma tambem, algumas pessoas precisam ver para crer, hoje muitos me conhecem com cabelo e não imaginam o que eu passei.



Então é o seguinte. - Se você agora está passando o que eu passei, fique calmo ! Que tudo vai dar certo, e com certeza você não irá dar importancia a outras coisas pequenas, a sua vida irá seguir, mas você vai se tornar uma pessoa diferente, valorizando o que tem que ser valorizado.


Meus colegas de trabalho do ano 2003 e 2004 foram pessoas legais de se conviver, que saudade daquela epoca, que força que me deram. Depois disso recebi muitas propostas de clientes para trabalhar, mais eu sou boba como alguns dizem, pensava que não seria o dinheiro que iria me tirar dali, pois o periodo mais dificil eu estava lá com essas pessoas me apoiando, como ia sair agora. Sabe de uma coisa não me arrependo disso, Essa é a Aline. Minha saida da empresa se deu por várias mudanças, aquelas pessoas que tanto me apoiaram já não estavam mais lá, foram sendo substituidas por pessoas sem profissionalismo que gostavam de trabalhar da maneira errada, contrariando as normas estabelicidas pela direção da empresa. Mas entendo que toda organização quando cresce, perde sua essência, lá o trabalho já não era mais o mesmo e foi ótimo esta mudança, pois na verdade estou de férias e logo logo voltarei ao mercado de trabalho fazendo o que gosto.






Salmos 30:5 segunda parte


O choro pode durar uma noite inteira, mais de manhã vem a alegria.






Como Deus é bom em nossas vidas, cuida nos mininos detalhes eu sinto isso em cada momento na minha vida.






A foto da corajosa Hebe






2 comentários:

Eveline disse...

Mensagem linda, forte, comovente. Um exemplo! Admiro sua garra, força e luta! Quem te conhece hoje realmente não imagina tamanha luta que enfrentou!

Beijos

Lucia Laureano disse...

Aline,
Seu post ficou realmente emocionate! Você é uma guerreira!
Foi muito bom ter a oportunidade de te conhecer pessoalmente! Vamos combinar de nos encontrar,a gora com dia e hora marcados, para que os maridos e filhos se conheçam também!
Um enorme beijo e Feliz Natal pra vocês!